sexta-feira, agosto 31

Poder da assinatura

video

Nada a acrescentar!

Nem dá para acreditar


Eu começo a pensar que não vivo na mesma realidade que o resto das pessoas, isto porque pareço ficar chocada com coisas que os outros acham perfeitamente normais. Que seja...


Isto porquê? Porque hoje fui tirar o carro do parque de estacionamento e quando cheguei à casinha para pagar encontrei uma folha a dizer "volto já". Volto já ?! Não acredito! Estou num sitio em que sou obrigada a pagar de acordo com o tempo da minha estadia e a casinha de pagamento diz "volto já" ?!


Ainda olhei em volta à procura de uma caixa de pagamento automático mas para meu espanto: nada. Passado um bocado lá apareceu uma senhora, a andar calmamente, como se nada fosse com ela. Entra para dentro da casota, senta-se, arranja o seu magnifico cabelo, abre a portinhola e diz calmamente "próximo". Claro que não há paz de alma que aguente, o mais estranho é que estava com um ar ofendido, como se tudo aquilo fosse perfeitamente normal.


Eu estou claramente a concorrer para o prémio nobel da paciencia, de que forma explicar isto?

quinta-feira, agosto 30

Ode to Internet providers

Confesso que as linhas de apoio ao cliente me tiram do sério, então as das empresas provedoras de serviços de Internet matam qualquer réstia de paz interior.

Contrata-se um serviço de ADSL com uma empresa com nome de um animal verde e saltitante e, apesar de se pagar uma barbaridade para se ter tráfego limitado e velocidades pouco convincentes ainda temos que respirar fundo, contar até um milhão e ganhar coragem quando o magnifico serviço deixa de funcionar.

Passo 1 – Sobreviver à voz da simpática senhora que nos pede inúmeros dados, conta de telefone, sem fios ou com fios, problema de isto ou aquilo. Respira-se fundo e damos todas as informações possíveis e imagináveis.

Passo 2 – Não desesperar quando a musiquinha toca de fundo e nos mandam esperar sem nos dizer até quando.


Passo 3 – Falar com o simpático assistente.

Bem, este terceiro passo tem muito que se lhe diga, porque a verdade é que toda a informação que tão corajosamente fornecemos para nada serviu, porque esta simpática criatura vai voltar a perguntar tudo de novo.

“Número de telefone, username, sem fios ou com fios”, ao fim de 5 minutos perdidos com informação já divulgada começamos a falar do nosso problema, daquilo que realmente nos aflige e que nos fez ligar em desespero de causa. Normalmente fazem mais um milhão de perguntas, dizem uns palavrões técnicos complicados, passam-nos um atestado de invalidez cerebral quando nos explicam onde ficam o botão start, aquele que fica no canto inferior esquerdo do nosso monitor.
Até aqui tudo bem, porque a verdade é que se há muito boa gente bem informada informaticamente, há uns coitados que não dão uma para caixa, mas continuando…
Após nos terem feito um diagnostico complicadíssimo, perguntas e mais perguntas (só não nos perguntam se somos casados e se queremos tomar um copo na 6ª porque isso seria falta de profissionalismo) chegam à conclusão que está tudo bem (pelo menos do lado deles) e que realmente não entendem o que se passa.

Solução: Mandar alguém a nossa casa.

Neste momento já passamos 1hora ao telefone, estamos já com suores frios de tanta raiva e impotência perante a situação. Agora só temos que pensar como vamos abrir a porta ao tipo que supostamente vem a nossa casa entre as 9h e as 13h da tarde. Isto sim, é gozar com que trabalha!

Mas não se enganem, o raio do bicho saltitante, verde e gosmento não é o único. Temos sempre o “Trio de Odemira” com a famosa e irritante frase do “há coisas fantásticas, não há?” a fazer estragos na paciência do pobre consumidor. Estes também funcionam de uma forma simples. Para além de nos obrigarem a subscrever serviços que não queremos (magnifico telefone VoIP) ainda temos que mandar um fax/email para os cancelarmos, sim… isto não pode ser feito via telefone.

E por falar em telefone, é sempre fantástico ouvirmos “ estimado cliente, devido ao volume do tráfego o tempo de espera poderá ser superior a 5minutos”, principalmente quando as chamadas são pagas e a solução apresentada não nos serve para nada. Temos sempre a típica resposta do “ O problema não é nosso, é seu” algo que nos faz pensar que estamos a terminar uma relação amorosa mas calma… normalmente o que é dito é “o problema não és tu, sou eu”, estou a ver a situação de forma errada?!

Solução: Mandar alguém a nossa casa.

Temos exactamente o mesmo problema com o horário, coisa óbvia tendo em conta que são ambas da PT. Fazem os mesmos testes, passam lá horas a fio, de rabo espetado para o ar, para nos dizerem “ Tem que substituir os cabos todos da casa” – Ora pois claro, partir parede e tudo, mais alguma coisa amigo?!

A sério, estes senhores tiram-me anos de vida!

terça-feira, agosto 28

A revolta de uma criança

video

É impressionante, estamos fartos de ouvir falar no aquecimento global, na poluição, na pobreza... A verdade é que tudo isto nos choca muito mais quando nos é dito pela boca de uma criança...

Sem comentários...

Hoje em dia tudo nos facilita comunicação, temos mil e uma maneiras de falar com aqueles que estão longe, a km e km de distância. Maravilha das maravilhas, a Internet veio em muito facilitar essa comunicação mas a verdade é que se em termpo uma pessoa tinha que sair para conhecer alguém, hoje em dia basta pesquisar um pouco e temos acesso a mil e um contactos, até nos podemos dar ao luxo de escolher.

E para quê tanto paleio, estão a pensar… Bem, a verdade é que a sina aqui da je faz sempre com que apanhe com todos os casos críticos e raros…

Estava muito bem na palheta no afamado Skype, a falar c o meu bixinho quando começo a ouvir uns barulhos de fundo, um apito insistente… ao fim de algum tempo, já chateada com tamanha intromissão decidi ver quem era o bandido e aí sim, perdi a cabeça…

Tinha uma janelinha a piscar, lá decidi abrir a coisa, comecei a ler, olhei de novo e comecei a brandar à padeira de Aljubarrota por força e iluminação espiritual. Sim, um corajoso espanhol decidiu vir falar, com aquelas conversas muito estranhas “olá, eu sou de Espanha e tu?” (claro que tudo isto em espanhol, mas aqui o mau feitio recusa-se a falar esse dialecto do demo). E eu? Ohh mero mortal, raça maldita, vens-me incomodar e interromper as minhas conversas?!

Achei estranhíssimo mas a verdade é que os animaizinhos dos tipos do Skype põem como definição “ser contactado por todos”. Enfim, cheira-me que os tipos querem originar um segundo confronto ibérico. Como não queria ser a força causadora de tal acontecimento limitei-me a fechar a janelinha e mudar a opção mas não é que o raio do tipo era persistente. Ainda bem que, ao contrário da “vida real”, podemos bloquear este tipo de situações!

segunda-feira, agosto 27

Tu... Tu desiludiste-me

Há alguma tendência para as pessoas arranjarem justificações quando as coisas não correm como seria suposto. Cheguei mesmo à conclusão que as pessoas mudam opiniões/reacções quando a situação é ou não com elas. Todos somos tolerantes quando as coisas nos dizem respeito a nós, gostamos que toda a gente se “ponha no nosso lugar” mas no que diz respeito a usar os sapatos de outras pessoas, toda a gente torce o nariz. “Ah e tal, nem imaginas o que tive de suportar, nunca me passou pela cabeça ter que lidar com uma situação destas, devias ter visto o que é que fulano X ou Y lhe fez, como podes imaginar isso deixa uma pessoa em baixo”. Claro que deixa, mas quando a situação foi a mesma e o senhor era a besta que estava a massacrar a humanidade não pensou que no “isso deixa uma pessoa em baixo”.

Cada vez me enerva mais a dualidade com que as pessoas tratam as situações, é o simples e puro olhar para o próprio umbigo e fazer tudo por tudo para que as suas necessidades sejam satisfeitas em primeiro lugar. O pior de tudo é ter que engolir em seco, em bom de não criar situações estranhas, para que tudo corra lindamente. A verdade é que com estas brincadeiras dignas do 3º ciclo se perdem muitos laços, e não digo que se perdem durante um mês, um ano, perdem-se para um vida… Há coisas que não se esquecem, nem mesmo quando a memória é curta, principalmente quando nos aparecem das formas mais estranhas e das pessoas que menos esperamos…

Tu... tu desiludiste-me

sexta-feira, agosto 24

quinta-feira, agosto 23

Cartão de Identificação

Tinha que partilhar com o resto da humanidade:
Finalmente recebi o cartão da V! Qual o motivo de tanta alegria?
Pois é, o cartonéti vai fazer com que eu possa aceder às areas de trabalho, abrir portas, entrar no edificio e, melhor ainda, no parque de estacionamento sem ter que chatear ninguem...
Pois é, depois de uma semana a fazer telefonemas para os coleguinhas e a chatea-los até mais não, vou conseguir entrar e sair sem ter que atormentar ninguem!
Há coisas fantásticas, não há?
(aproveitar a capacidade criativa da magnifica concorrência, ahahah)

Cambada de energúmenos

Cheguei a uma conclusão quase bíblica, das duas umas ou eu sou muito, mas muito estranha, ou então tenho uma falta de sensibilidade extrema para lidar com o sexo oposto. Ou então é uma terceira conclusão, um misto das duas primeiras (cheira-me que é mais isto).

Pronto, já sabemos que grande parte do “machedo” (em honra à querida princesa Helluah) tem graves problemas de coordenação entre a massa cinzenta e a boca. A verdade é que não se está à espera de ouvir determinadas coisas em pleno dia, coisas daqueles que fariam o mais ordinário dos ordinários ficar corado, e seguir em frente sem ficar perturbada.
O que me leva a outro pensamento, de que raio de diarreia cerebral sofrem estes tipos para entender que a abordagem à “homem das obras” não funciona, que não os faz mais sexy’s e que não é decididamente um turn on?! É que a sério, depois deste tempo todo (e digo tempo todo porque o nível atingido por tais espécimes revelava alguma “experiência de vida”) ainda não entenderam, ou ninguém ainda lhes explicou que, se a ideia é de conseguir recriar um diálogo não poderiam escolher pior aproximação. Porque realmente, alguém que utiliza uma aproximação do género “Que lindas pernas, a que horas abrem?” entre outras, só pode estar à espera de um par de estalos muito bem enfiados ou uma resposta ainda pior.

Enfim, uma pessoa sujeita-se a apanhar com estas anormalidades na rua… onde estão os “homens de antigamente”, aqueles de que a minha avó falava, lindos, educados, simpáticos, bons ouvintes com a boa agravante de uma ou outra característica mais picante?

quarta-feira, agosto 22

Solta o Frango - Dedicado às meninas!

a gente somos linda
a gente somos inteligente
a gente somos o trio mais foda
a gente somos delinqüente
alegria da moçada, da perua à favelada
nosso som é fantasia pra mamãe vovó titia

rolê, rolê, rolê
solta o frango e vem com a gente

nóis é tipo bem jesus
todo mundo a gente ama
inda mais se for gatinho
rola até levar pra cama

a gente topa tudo
sapatão a bigodudo
na hora do piriri
cai ni mim ô travesti

a gente somos linda
a gente somos inteligente
antes de dar o edi
eu jurava que era crente
alegria da moçada, da perua à favelada
nosso som é fantasia pra mamãe mamãe titia

Flutuo

Flutuo, consigo deslindar o meu gosto sem esforço, o balanço é o que a maré me dá e eu não contesto. O meu destino está fora de mim e eu aceito, sou eu despida de medos e culpas, confesso… Hoje eu vou fingir que não vou voltar, despeço-me do que mais quero, só para não te ouvir dizer que as coisas vão mudar amanhã. Amanhã, pensar nisso sempre me dá mais jeito, fazer de mim pretérito mais que perfeito, só para não me ouvir dizer que as coisas vão mudar amanhã…
Lyric by Susana Felix

terça-feira, agosto 21

Médicos, gosto tanto de vocês - Parte III

Pois é minha gente, hoje foi o dia de receber os resultados das análises e exames médicos. Devo informar que aqui a je está completamente saudavél. Não faço parte do 5 milhões de portugueses com colesterol elevado, dos 2 milhões com problemas de rins e restantes estatisticas de fatalidades que pelos vistos a nossa raça sofre.
Sim senhora, estou pronta para mais disparates e mais comida muito (às vezes pouco) saudavel! ;)

Momento raro de bom feitio!

Realmente há coisas que nos surpreendem e há momentos, que parecem querer ficar para a posterioridade.

Confesso que não era crente mas que fui apanhada no meio da rede, o mais engraçado é que é muito melhor do que toda a gente dizia… fui convertida!
Adoro-te bixo !

segunda-feira, agosto 20

Parabéns a mim!

Pois é, hoje é a minha vez de ser bébé e pequenina (mais ainda) e de poder fazer tudo, ou quase, à minha maneira. Para quem não sabe hoje faço anos, o que significa que hoje vou ser apaparicada, mimada e tudo e tudo e tudo... e porque não? anos são só uma vez por ano, não é? Então há que aproveitar!
PS- prometo que não me vou babar quando for apagar as velas, sim... não estou assim tãããooo velha :)

quinta-feira, agosto 16

Sim, é verdade!

Sim, para quem não acredita, o magnifico condutor decidiu enfiar o carro num buraco (que mais parecia uma cratera). Tudo bem que estava de noite mas... "PELO AMOR DA SANTA" num buraco?! Oh espanhol da tanga, davas-me o carro a mim, escusavas de fazer tamanha figura!

PS- vá lá, o condutor até estava muito bem disposto, conseguiu mandar uma piadola quando me viu a tirar a foto, ao menos isso!

E Espanha sem espanhois?! Isso é que era!

Confesso que já desconfiava um bocadinho mas a verdade é que tive todas as provas para afirmar que se o palerma do Saramago voltar com a historia de tornar isto numa “Ibéria” que vou para as trincheiras acabar com o maior numero possível de espanhóis… um bocado dramático? Bem, talvez para quem não me conheça lá muito bem mas a verdade é que estes “nossos irmãos” têm o dom de tirar qualquer tuga do sério. Para quem ache o contrário ora vejamos:

- Falam alto para xuxu: é impossível encontrar um espanhol a ter uma conversa num tom ameno, sem fazer com que o pobre do desgraçado que está sentado ao seu lado ficar sem tímpanos,

- As criancinhas são “muito” educadas: é perfeitamente normal chegarmos à praia, completamente descansados da vida e prontos para fechar a pestana ao som das ondas quando, e vinda do nada, nos aparece um batráquio aos berros a gritar “MÁMIIII, MÁMIII” e continuar aos berros pela praia fora.

- Ver e ouvir passar os belos maquinões, todos xuning, como uma musica horrível a tocar aos berros, semelhante a alguém a sofrer de cólicas renais… Acho que dá para ter uma pequena ideia, certo?

Mas o problema nem é só esse, estes tipos são uns verdadeiros aselhas e não me venham cá com histórias que lá é que se faz tudo bem e que se vive bem, já provaram o pão daqueles tipos? E o café?! Sm, já sei que vão dizer que eu deixei de beber café mas mesmo assim, ainda me recordo do belo do sabor… Se calhar é essa a justificação para as músicas horríveis e o ar desgraçado.

Ok, ok… não vou dizer que não me diverti, adorei as férias, apenas estava a tentar dizer que aquilo sem espanhóis seria muito mais divertido!

PS- para todos os espanhois porreiros com que estive: voces foram a excepção à regra :)

De volta a casa

Pois é, a verdade é que as férias são sempre curtas e passam a correr. Cá estou eu de volta à grande capital pronta para iniciar mais um capitulo da minha vida.

É entrar com o pé direito!

sexta-feira, agosto 3

E para quem não sabe, vou de férias!

Acho que finalmente chegou a minha vez, depois de ouvir praticamente toda a gente a dizer que ia de férias para os sitios mais fantasticos, chegou a minha vez de dizer que me vou por literalmente na alheta e sair daqui para fora. Ah pois é, vou de férias, literalmente de férias, praia, mar, esplanadas, noites fantasticas, saidas, mais praia... hummm, acho que é mais ou menos isso.

Assim, vou rumar para o sul, com rota marcada para o pais vizinho na esperança de passar uns dias mágnificos! É pena que aquilo esteja cheio de espanhois, pronto, ok (lá estás tu com o teu mau feitio!)... eu sei que vou para Espanha por isso é obvio que espanhois vão ser ao magote, mas enfim... não há bela sem senão, bem que esses senhores barulhentes, feios, maus e porcos podiam ir para outro lado! Mas não vou deixar que isso me estrague os planos, porque com ou sem espanhois vou-me dedicar ao máximo a não fazer nada, ahaha, e até sou muito boa a fazer isso!

Para os que ficam (eu sei que é muito feio fazer inveja mas...) eu depois mostro as fotos e já agora: BOM TRABALHO!!

quinta-feira, agosto 2

Registo criminal

Hoje fui entregar o meu registo criminal à V, a parte de toda a documentação necessaria também precisva de um papelinho com a historia das minhas actividades ilicitas. Lá fui eu à loja do cidadão, à secção do registo criminal e tirei a bela da senha.

Confesso que estava à espera de uma grande fila, tipica do sitio mas para minha bela surpresa não estava lá ninguem. Tirei a senha e nem sequer tive tempo para me sentar, fui logo atendida. A senhora perguntou-me para que é que eu queria o papelinho, ao qual disse que era para fins profissionais, paguei €3,5 e lá fui eu toda contente.

O papel era o mais simples possivel, como o meu nome, data de nascimento e tudo o que é supostamente normal ter. No meio da pagina tinha algo como "nada consta a cerca da pessoa acima indicada".

Moral da história: enganei-os bem, nada consta no cadastro! :D